quarta-feira, 12 de maio de 2010

um mundo um pouco mais completo.

Anteontem, um amigo querido estava largado em cima de Gamera (meu pufe tartaruga gigante) falando comigo sobre os deuses. Ele é o meu contrário nisso: minha fé veio do fato de eu ser uma completa apaixonada pela mitologia. Ele tem a fé, e se apaixona pela mitologia a cada dia. Acho que fazemos bem um ao outro: eu tenho um pouco de conhecimento e ele tem uma entrega que é inspiradora. Aprendemos juntos, e passamos juntos por situações muito fortes de contato e amor pelo divino.

Ele falou algumas coisas interessantes ontem. Sobre como a nossa religiosidade tinha dado a ele um sentido de estar completo. Foi no mínimo curioso ouvir da boca dele algo que eu disse e repeti por anos: ´"era como se faltasse um pedaço de mim o tempo todo".

Ter fé não significa não ter problemas. Na verdade os deuses, todos eles, de todos os panteões, tem o péssimo hábito de querer que a gente sempre vá além do pouco - que a gente faça o nosso melhor, que a gente viva com intensidade, que a gente rompa os limites. E isso nos garante que as vezes vamos ser levados à exaustão.

Mas ter fé faz com que nossa vida tenha um pouco mais de sentido. Aquele pedaço faltando, que muitas vezes a gente tenta preencher com milhares de coisas, que vão de sexo casual, amor romântico, drogas, trabalho,família, coisas ruins ou muito boas, outras religiões, subitamente, quando a gente menos percebe, aquele pedaço faltando está preenchido pela sensação de que os deuses estão lá.

Não acho que seja assim com todo mundo - conheço um bocado de ateus muito bem resolvidos. Mas acho que é da natureza de uma parte de nós esse anseio, essa angústia que só pode ser preenchida pelos deuses.

Porque as vezes, a gente precisa subir na montanha e ouvir o vento rugir. As vezes, a gente gosta de ouvir o relâmpago a distância, e saber que não estamos sós.

5 comentários:

Helene Priscilla {Ἑλένη Καλλιοπη Ελευθέριος} disse...

Lindo post.

Jota Olliveira disse...

É meu amor.
A coisa é bem por aí.
O mais legal é quando realmente percebemos que estamos rodeados dos deuses. Não consigo ver uma flor e não pensar em Perséfone e Afrodite. Comer arroz e grãos em geral sem pensar em Deméter e muito menos tomar alguma decisão sem pensar no Pater e sua sabedoria Metiétis.

Enfim... eles são partes de nós e acho que a vida é uma busca por essa união.

helleneste disse...

Lovely! Very poetic!

Thiago Gacciona disse...

Passei só para dizer que o seu comentário no Marca Livro foi, possivelmente, por algum motivo, o mais significativo que já recebemos desde que o blog começou!
Obrigado!

Inês disse...

Tenho me perguntando muitas vezes o que é ter fé e porque tê-la, e em todas tenho recebido respostas, como as que vieram do seu texto agora.

 

Simply Fabulous Blogger Templates, header by Alex: 'A Lilly Pond'(J.W.Godward).